quinta-feira, 24 de novembro de 2011

A música gospel e sua representação hoje

Tags: mercado gospel

Publicado em: 19-11-2011Share4Compartilhar:
Segundo o colunista Rich Copley, muitos cristãos americanos estão fazendo ouvidos moucos para a música cristã contemporânea
A música gospel tem avançado consideravelmente em termos de conquista de espaço, aqui no Brasil. A prova mais recente disso é o programa que a Rede Globo veiculará no dia 18 de dezembro. Trata-se do especial de Natal “Festival Promessas”, primeiro show gospel a ser exibido pela emissora e que, dependendo da audiência, tem a chance de ser guindado à atração semanal. O mais otimista dos evangélicos brasileiros jamais poderia aventar a possibilidade de a TV do Jardim Botânico colocar em sua grade uma atração com cantores da música gospel nacional, mas, aí está o evento confirmado para quem quiser assisti-lo.

Nossa música viveu dias de vacas magras quando o assunto era divulgação nos canais da mídia. O que se tinha era a rádio Copacabana AM, aqui no Rio de Janeiro, durante os anos 70 e boa parte dos 80, até que apareceu a primeira FM, a rádio Melodia que, inclusive, está completando 25 anos no ar. Logo depois veio a também FM 93,3, rádio El Shaday, e hoje poderíamos citar várias delas espalhadas pelo Brasil afora.

Não nos esqueçamos das TVs que, mesmo que não sejam de proprietários professantes do protestantismo, exibem alguns programas patrocinados por variadas igrejas, com algum espaço para a música gospel. Como exceção está a TV Boas Novas com seu conteúdo totalmente voltado para a temática evangélica, principalmente a relativa à denominação “Assembleia de Deus.”

A questão recorrente diz respeito aos estilos musicais utilizados, hoje, por nossos intérpretes e autores. Será que suas canções agradam a todos os ouvintes que sintonizam os dials das rádios? Este questionamento é trazido à baila motivado pela recente pesquisa lançada na rede mundial de computadores: a famosíssima World Wide Web, ou, para os íntimos, a WWW.

Ocorre é que o sítio norte-americano www.kentucky.com postou hoje – 19 de novembro – a matéria com o título Many Christians turn a deaf ear to contemporary Christian music (Muitos cristãos fazem ouvidos moucos para a música cristã contemporânea), artigo escrito por Rich Copley. O colunista ressalta, entre outras constatações, que cerca de 90% dos cristãos nos Estados Unidos não ouvem rádios que tocam gospel.

Outros trechos da postagem de Copley dizem: “Nos últimos anos, o gênero tornou-se quase uma vítima de seu próprio sucesso (...). Além disso, muitos tentam colocar distância entre si e o gênero cristão (...). Com uma forte base de apoio nas igrejas dos EUA, é seguro dizer que a música cristã contemporânea, em particular, a categoria louvor e adoração, provavelmente, não vai a lugar nenhum em breve. Mas é interessante notar que quando se trata de música cristã contemporânea e os cristãos do país, o coro não está escutando”, afirma o autor do artigo.

Seria isto um alerta para nossa música? A preocupação é dimensionada se colocarmos na balança o fato de que praticamos aqui um profundo mimetismo a tudo o que acontece na terra dos vizinhos do Norte. Em sendo assim, fica para nós essa interrogação!

fonte
Elvis Tavares é advogado, cantor, compositor, produtor e manager da EFRATA MUSIC

Nenhum comentário:

Postar um comentário